Arquivo da categoria: Exemplos

Veja aqui exemplos de aplicações de tecnologia persuasiva

Aplicativo Guia Bolso

O Guia de bolso é um app seguro que se conecta à sua conta do banco. Ele lê as informações de transações, gastos e depósitos da sua conta. No fim de cada mês, o app cria tabelas e gráficos que te dão parêmentros para você se organizar melhor no mês seguinte. Através destes gráficos é possível visualizar os gastos por categorias de compras e estabelecimentos, e também por datas, por exemplo os gastos do dia, da semana ou do mês.

Com isso o aplicativo torna mais fácil para o usuário fazer comparações, monitorar e entender seus próprios comportamentos de compra e fazer um planejamento detalhado dos gastos, remuneração, entre outros.

Contribuição por Raphaela Fernandes

Painel do Ford Fusion híbrido educa o usuário a dirigir de forma eficiente

O painel do Ford Fusion híbrido possui um sistema de coaching que estimula o usuário a dirigir de forma eficiente. Numa formato bem visual, o painel possui uma planta do lado direito, que cresce conforme o motorista dirige de forma eficiente, e encolhe quando a eficiência é baixa. Um repórter do Los Angeles Times testou o sistema e relatou uma performance de 52 milhas por galão de combustível, 11 a mais do que o carro sem o Smart Gauge.

torneira LEDNo quarto período, desenvolvi um arejador para pia de banheiros baseado neste conceito, de educar o usuário através de mensagens visuais. Ele funcionava como um sinal de transito, indicando quando a torneira deveria ser desligada. Segue o link do projeto: https://www.behance.net/gallery/14321759/Arejador-LED

Contribuição por Francisco Pizarro

Marcação de amigos em fotos nas redes sociais

Nas redes sociais como instagram e o facebook é possivel ‘marcar’ amigos nas fotos, vídeos e locais, ou simplesmente mencionar alguém em um texto. Com isso indicamos quem está sendo mostrado ou mencionado. Essa função é uma técnica de tecnologia persuasiva pois recebemos a notificação de que fomos ‘marcados’ em algum conteúdo, geralmente instantaneamente, através das notificações enviadas pelos aplicativos de smartphones. E quando você é marcado em uma foto, você imediatamente para o que estiver fazendo e entra na rede social pra ver e que foi marcado. E assim você acaba navegando em outros conteúdos e gastando mais tempo na rede social.

Contribuição por Monique Gontijo de Morais

Estacionamento criativo para bicicletas

Este estacionamento criativo para bicicletas mostra quantas bikes cabem no espaço de um carro. No exemplo vemos pelo menos 10 bicicletas. Este design é produzido pela Cyclehoop, e pode ser visto em diversos locais em Londres.

A silhueta de um carro deixa claro que no espaço de um automóvel, cabem todas essas bikes. Mas não é só o conceito que é interessante, a iniciativa é também funcional: as bikes podem ser amarradas ao paraciclo com toda a segurança, já que a moldura de metal as protege do trânsito. Além disso, o paraciclo conta com uma bomba para encher pneus e espaço para publicidade.

Contribuição por Fabio Junio dos Santos

Intervenção em Lixeiras Públicas

Um bom exemplo de tecnlogia persuasiva é a lixeira desenvolvida em um projeto patrocinado pela Volkswagen que foi utilizada em Estocolmo, na Suécia. Tendo por base o Fun Theory, ela foi trabalhada no conceito de que a diversão e a sensação de bem estar pode modificar o comportamento dos usuários. Na lixeira, há um sensor que detecta quando algum objeto é jogado no lixo, o que faz disparar um longo barulho que faz referência a um precipício de 600 metros de profundidade. Nela há um adesivo com os dizeres “A lixeira mais funda do mundo”, o que já provoca curiosidade no usuário. Como resultado dessa ação, a lixeira coletou 72 kg de lixo em um dia, 41 kg a mais do que o convencional.

Vídeo da ação:

Contribuição por Vitória Procópio e Joaquim Jr. Pereira

8BallPool e o Design Persuasivo

O app 8BallPool é um dos jogos de sinuca online mais bem avaliados da Apple Store e da Google Play. Dentre as diversas funções persuasivas presentes no jogo, posso destacar a competição semanal, a qual o aplicativo classifica semanalmente os usuários que mais pontuarem, sendo estes agrupados por sua rede de amizade, por seu país e em todo o mundo.

Os três primeiros colocados da competição, além de um símbolo gráfico para destacá-los, recebem diversos prêmios. O uso de notificações ao vivo, que aparecem quando um amigo lhe ultrapassa na competição, agem como incentivadores inconscientes, que motivam o usuário a jogar mais partidas, para que conquiste mais pontos e recuperando assim um boa colocação no ranking.

Colaboração por Luiz Ricardo Mendes Peregrino

Uma vida a cada Gota

Para evitar o desperdício, o designer chinês Lu Yan criou este aquário acoplado a uma pia. Se a pessoa usa muita água, o aquário esvazia e ameaça matar o peixe. Na verdade não mata, porque existe um sistema para enviar água depois de um certo limite. A água que vai para as mãos passa por outro tubo, portanto, não vem contaminada com os detritos do peixe.

O produto desenvolvido, chamado Poor Little Fishbowl Sink contribui para redução do consumo de água e para a conscientização quanto a sua escassez e importância. Ao abrir a torneira e ver o aquário esvaziar, o usuário é influenciado por um sentimento de culpa e responsabilidade pela vida do peixe, o que o leva a ser rápido, fechando a água em menos tempo que o habitual.

Contribuição por Plinio Braga

A Apresentação de Uma Refeição Pode Alterar Sua Percepção de Valor Sobre Ela?

Os últimos anos proporcionaram uma grande visibilidade ao mundo dos restaurantes. Reality shows baseados em comida e programas gastronômicos na mídia contribuiram para a ascenção da figura do “chef”. Chefs gostam de estar nos holofotes tanto quanto os consumidores gostam de se sentirem exclusivos e receberem um tratamento personalizado. Será que toda essa pompa está se tornando mais importante que a comida em si? Um novo estudo vindo de Hong Kong sugere que talvez, sim. Comissionado pela firma de hospitalidade “CatcnOn”, o estudo conclui que os consumidores pensam que uma refeição é mais saborosa se ela é apresentada pra eles por um chef, mesmo que os ingredientes utilizados sejam de qualidade inferior. No estudo, 48 consumidores desavisados, no chique restaurante Serge et le Phoque, em Hong Kong, foram ofertados a experimentar duas versões de um risotto especial. A primeira, feita com galinha caipira, estava na mesa já quando eles chegaram para se servir, acompanhada de uma cartilha listando os ingredientes. Na segunda versão, utilizou-se frango enlatado comprado em supermercado e se trouxe o chef Charles Pelletier para apresentá-la. O chef explicou as “pequenas alterações” feitas na segunda versão e detalhou cada ingrediente, salpicando seu discurso com memórias preciosas de infância.

Quando os participantes julgaram as duas versões, a maioria absoluta de 77% assinalou gostar mais do risotto apresentado pessoalmente por Pelletier (que, na verdade, não é um chef de verdade, mas o co-proprietário do restaurante). Eles consistentemente avaliaram a segunda versão superior à outra em termos de qualidade, gosto, estética, cheiro e tamanho da porção, mesmo que ambas tivessem a mesma quantidade.

Este exemplo usa claramente a ideia de “autoridade”, quando um especialista motiva as pessoas a agirem de determinada maneira. Este é um dos princípios básicos de persuasão, conforme descrito por Cialdini.

Contribuição por Alessandro Policarpo. Adaptado de http://www.fastcodesign.com/3050227/evidence/can-a-meals-presentation-change-your-perception-of-its-overall-quality

Spotify – degustação de produtos premium

Em tempos de instabilidade e transição no mercado fonográfico, um novo formato de venda e compartilhamento de mídias vem mudando o conceito de ouvir música. Serviços de streaming de música, podcast e vídeo online tipo o Spotify permitem que as pessoas ouçam milhares de músicas através de computadores e aplicativos de smartphones e tablets. A maioria das grandes gravadoras e empresas de mídia fornecem seus conteúdos para serem acessados online.

A princípio o serviço é gratuito, mas com algumas limitações. Nesta versão básica temos a impossibilidade de fazer o dowload das músicas, e o fato de que o ouvinte não pode determinar as músicas que ouve. O modo gratuito somente executa playlists pré-definidas e no modo aleatório (shuffle), além de transmitir constantemente propagandas no intervalo das canções.

Tal estratégia, em conjunto com uma maciça publicidade e uma oferta de “degustação” gratuita do pacote Premium durante um mês, induz sutilmente o usuário a contratar o serviço e vem apresentando uma aceitação mais positiva do que em comparação aos serviços e estratégias dos concorrentes. Este modelo de negócio se baseia no comprometimento e consistência, já que os usuários já foram “fisgados” ao receber uma “amostra grátis” e estarão mais propensos a pagar pelo acesso se eles já são usuários.

Contribuição: Fernanda Oliveira

SpyHunter: mostra o caminho, mas cobra pela viagem

Atualmente, o software SpyHunter é um dos mais conceituados Anti-Spywares e Adwares do mercado. Em tempo real, escaneia seu computador à procura de arquivos invasores maliciosos tais como malwares, trojans e rootkits; tendo como base uma biblioteca atualizada periodicamente.

No entanto, a versão *free*, através do escaneamento, somente detecta os arquivos invasores, mas não os deleta automaticamente. A remoção poderá ser feita manualmente através do caminho apresentado pelo software. A versão paga e completa conta com tal funcionalidade de remoção, além de outras importantes ferramentas como o suporte personalizado ao cliente individual (Spyware Helpdesk). O software SpyHunter faz jus à denominação de *detector adaptativo de Spywares e Adwares*.

Todavia, toda a comodidade oferecida tem um preço para ser usufruída ao máximo. Este modelo de negócio se baseia no comprometimento e consistência, já que os usuários já foram “fisgados” ao receber uma “amostra grátis” e estarão mais propensos a pagar pelo software completo já que eles já conhecem e aprovam a ferramenta.

Fonte: www.spyhuntersoftware.com/br

Daniel Gomes. Disciplina: TAU092 (UFMG).

Painel de instrumentos de veículos

Luzes de advertência no painel de instruentos 2Os painéis de instrumentos de veículos possuem luzes de advertência para informar o condutor de possíveis problemas e perigos. Este exemplo mostra o Dispositivo Visual e Sonoro para alertar sobre dois itens importantes de segurança. O primeiro mostra que você está sem o cinto de segurança através da luz amarela no canto direito do painel mostra um ícone de uma pessoa com o cinto de segurança. A outra luz de advertência, no lado esquerdo, se acende quando você está com a chave no contato e a porta aberta. Estas luzes indicam que há um perigo nestas ações, seja do risco de dirigir sem cinto em caso de acidentes, de abrir a porta com o carro ligado, e o risco de esquecer a chave dentro do carro.

Luzes de advertência no painel de instruentos 1Mas a verdadeira característica persuasiva deste sistema está num recurso adicional: o aviso sonoro que soa quando estas luzes se acendem. Este barulho praticamente te obriga adequar a situação conforme solicitado.

Contribuição: Elaine Nunes Perucci

LED de smartphones

A maioria dos smartphones da atualidade apresentam no corpo do aparelho uma pequena luz de LED que acende de forma intermitente quando existem notificações pendentes no aparelho. A cor do LED, e/ou a frequência com que a luz pisca, podem ser alterados de acordo com a natureza da notificação, permitindo ao usuário reconhecer quando houver notificações em seu smartphone e definir prioridades, sem que seja necessário iniciar o aparelho manualmente.

Colaboração: Ítalo H. Nogueira

Pedestre, atravesse na faixa!


Na Estação de Move na Pampulha (Belo Horizonte), foram colocadas grades nas plataformas de modo a induzir que os pedestres atravessem na faixa. Essa medida visa a segurança na travessia nos corredores de passagem de ônibus, porque a concentração de pessoas em um só ponto desperta a atenção do motorista e minimiza o risco de acidentes.

Além disso, as faixas foram colocadas em locais estratégicos para integrar os acessos às bilheterias, catracas e plataformas, de forma a não comprometer o tempo de deslocamento para pedestres.

Colaboração por Alice I. Oliveira

Bike BH

Bike BH é um projeto de sustentabilidade em Belo Horizonte que tem como parceiras o banco Itaú e a empresa Serttel. O sistema visa oferecer à cidade uma opção de transporte sustentável, saudável e não poluente. As bicicletas estão disponíveis em estações distribuídas em pontos estratégicos em grande parte da cidade. O projeto tem como objetivo:

  • Introduzir a bicicleta como modal de transporte público saudável e não poluente
  • Combater o sedentarismo da população e promover a prática de hábitos saudáveis
  • Reduzir os engarrafamentos e a população ambiental nas regiões centrais das cidades
  • Promover a humanização do ambiente urbano e a responsabilidade social das pessoas.

O projeto Bike BH possui também seu próprio aplicativo que lhe permite acessar o sistema de aluguel de bicicletas Bike BH. Com ele você pode se cadastrar, adquirir passes de utilização, retirar bicicletas das estações, localizar estações, dentre outras ações.

Aluno: Rodrigo Costa Correia de Souza

 

Painel em pontos de ônibus

ponto de onibus
A maioria dos pontos de ônibus no Brasil não dá muita informação para o passageiro. Este exemplo na região central de São Paulo possui apenas o poste e nenhuma outra indicação. Não dá pra saber qual ônibus passa por ali, se está rodando hoje, qual tempo de espera, qual destino, etc. Isso causa uma certa ansiedade no passageiro, e reduz a confiança no sistema.

Painel eletrônico de ponto de ônibusEm Belo Horizonte começaram a instalar painéis eletrônicos com a indicação da linha e da quantidade de minutos faltando para o ônibus chegar (na imagem do topo). Prática comum em países desenvolvidos, isso motiva o uso do sistema aumentando a confiança (se o painel estiver funcionando, e com a informação real!). Neste caso, a tecnologia funciona de modo a dar mais informação para o usuário, que vai poder tomar as decisões adequadas. Isso pode persuadi-lo a uasr o ônibus com mais frequência. O resultado final é uma maior sustentabilidade do serviço de transporte como um todo.