Conferência sobre sistemas de transporte inteligentes

Semana passada apresentei dois artigos na conferência INTSYS – Intelligent Transport Systems, que aconteceu na Finlândia. Como é de praxe nestas conferências, keynotes interessantes abrem as discussões na manhã de cada dia, e a professora Lorna Uden apresentou sua visão da necessidade de se considerar a experiência do usuário e o co-design de valor. Só depois de considerar o que os usuários gostam e o que ele valorizam é que poderemos criar sistemas inteligentes de sucesso.

Apresentação da professora Lorna Uden, mostrando ao fundo a paisagem da Finlândia no fim do outono.

Minhas apresentações foram relacionadas a dois estudos que conduzimos durante o projeto CLoSeR, um sobre criação de personas que representam passageiros de trens, e outro sobre usabilidade de telas indicativas de reserva de assentos.

Personas

Fotos de algumas das personas impressas e montadas em papelão

Personas são representações de usuários de algum produto ou serviço, e ao invés de falar do ‘usuário’ como alguém genérico, descrevemos eles através de dessas personas, que contém foto, dados demográficos, descrição das preferências, objetivos, desejos e limitações. Com isso temos uma relação muito mais pessoal com o usuário, e equipes de desenvolvimento acabam tendo uma melhor compreensão de quem vai usar os produtos e serviços.

Quatro personas foram desenvolvidas para representar os passageiros de trens e suas interações com tecnologia a bordo. Este exercício proporcionou a definição dos requerimentos adequados para estes usuários. Por exemplo, Jonathan é um homem de negócios que quer usar o trem para trabalhar a caminho de reuniões. O ideal seria que ele tivesse uma viagem sem interrupções, e ele não gosta de parar o que está fazendo para mostrar o tíquete para o cobrador. Portanto, a tecnologia proposta pode fazer com que ele mesmo se identifique ao embarcar, usando seu aplicativo de telefone, para provar que já possui um tíquete, e que está sentado no seu assento reservado.

Por outro lado Lin, que é uma senhora aposentada que usa o trem para lazer, não possui um smartphone, e gosta de conversar com o cobrador, perguntar sobre a viagem, o local de desembarque e outros detalhes para fazer com que a viagem seja mais segura e tranquila. Neste caso, Lin vai precisar do contato físico com o sistema, e o cobrador, no caso dela, é uma vantagem, ao contrário do Jonathan. Um cartão com uma ‘tag NFC’ para que ela se identifique num leitor posicionado no braço do assento pode fazer com que ela também se beneficie da tecnologia, mesmo sem possuir um telefone. Mas para isso seria necessário ter também junto ao assento uma tela que possa apresentar mais informações para ela e outros os passageiros.

Usabilidade

As duas telas usadas durante o estudo piloto de usabilidade

Um estudo foi desenvolvido para avaliar dois tipos de displays da reserva de assento em trens: os do tipo OLED e E-ink, através do design centrado no usuário. OLED são as telas geralmente pretas que se iluminam com texto ou imagens. A E-ink é o contrário: como nos e-books, o texto aparece em preto contra o fundo da tela que é geralmente branco.

Inúmeros fatores influenciam a decisão sobre qual display usar, como custo ou consumo de energia. É também importante considerar a usabilidade, por exemplo a legibilidade e as preferências do usuário. Nós desenvolvemos um estudo piloto usando entrevista com questionários semi-estruturados onde usuários interagiram com ambas telas puderam dar suas opiniões e impressões.

Os resultados mostram que os participantes preferiram a tela de OLED no geral, já que ela é mais facilmente notada em condições de luz diferentes. Entretanto, alguns aspectos da tela de E-ink foram preferidos: é mais fácil de ler e de entender o conteúdo. A conclusão é que pesquisa com usuários reais é extremamente importante durante a fase de design e definição de qual hardware se usar na implementação de sistemas de transporte inteligentes. Uma combinação dos dois displays pode ser usada, ou a adição de um LED nas cores verde e vermelha que indique, à distância, se o assento está reservado ou não.

Referências

Oliveira, L., Bradley, C., Birrell, S., Tinworth, N., Davies, A., Cain, R., 2017. Using Passenger Personas to Design Technological Innovation for the Rail Industry, in: INTSYS – Intelligent Transport Systems – From Research and Development to the Market Uptake. Springer, Helsinki, Finland (in press).

Babu, V.S., Oliveira, L., Birrell, S., Taylor, A., Cain, R., 2017. Comparison of E-ink and OLED screens as train seat displays: a user study, in: INTSYS – Intelligent Transport Systems – From Research and Development to the Market Uptake. Springer, Helsinki, Finland (in press).

Conteúdo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.