Observando a experiência do usuário

Era o ano de 2010, e eu estava começando meu doutorado na universidade de Loughborough, Reino Unido. Na Escola de Design existia uma mini biblioteca (umas duas ou três estantes) onde ficavam os livros relevantes para os grupos de pesquisa que compartilhavam aquela área. Sempre encontrávamos ali algo que funcionasse como um guia prático para conduzir nossas pesquisas. No meu caso, como pesquisar a experiência do usuário. Periodicamente, aquela biblioteca era alimentada com novos títulos. Estes eram geralmente comprados pela escola, seja por sugestão dos orientadores, ou por pedidos dos doutorandos. Portanto, tínhamos ali acesso rápido às novas tendências da pesquisa em design.

Naquele dia, eu peguei um das novas aquisições, meio que aleatoriamente, e comecei a ler. Minha colega, que sentava na mesa ao lado, comentou “olha, então já chegou o livro do Kuniavsky!”. Eu respondi algo como “sim, foi você quem pediu?”. Até então eu não sabia do que se tratava, mas a partir de algumas páginas notei o porquê da empolgação dela. Como vemos na capa, este livro é um guia prático para pesquisa com usuários, e achei bem completo.

Conteúdo

Este livro contém as ferramentas básicas para todos os profissionais que criam produtos e serviços digitais, não só designers de experiência. Neste guia encontramos as ferramentas para entender quem são os usuários, o que eles querem, e do que eles necessitam. Então, a partir daí, podemos começar a desenvolver as maneiras de fornecer essas soluções para os usuários.

Em 2012 saiu uma nova edição do livro, que apesar de já ter uma década, contém informações sobre como conduzir as estratégias mais usadas em pesquisa de design. Vemos as dicas básicas sobre como recrutar, perguntar e observar, mas também as técnicas mais modernas e inovadoras. Em 585 páginas, existem capítulos inteiros dedicados a cada método:

  • Entrevista
  • Grupos focais
  • Técnicas baseadas em objetos (fotos, colagens, card sorting, Lego®, etc)
  • Visita de campo
  • Diários
  • Testes de usabilidade
  • Questionários
  • Dados secundários (estatísticas de uso, pesquisas já publicadas, comentários de consumidores, etc)

A parte final do livro é dedicada à comunicação de resultados de pesquisa. Ali os autores descrevem como representar os ‘deliverables’, como personas, cenários, mapas e processos e modelos. , Vemos também como apresentar para outras pessoas os resultados sobre a experiência do usuário.

Depois do pós-doutorado e dos contratos de trabalho em Loughborough e Warwick, quando me desliguei da universidade, perdi acesso à biblioteca e àquele livro. Então, tive que comprar o meu próprio exemplar, e revisito este livro periodicamente durante minha prática profissional de UX Researcher.

Portanto, se eu tivesse que recomendar apenas um livro para quem quer conduzir pesquisas para entender seu público, este seria ele.

Referência

Kuniavsky, M., Goodman, E., & Moed, A. (2012). Observing the user experience: A practitioner’s guide to user research. 2nd ed. Morgan Kaufmann.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.